Anestesia
+

Consulta pré-anestésica

 Realizada uma semana antes da cirurgia, a consulta pré-anestésica serve para o médico conhecer o paciente e rever seus exames e a avaliação clínica já feita, com a finalidade de prevenir quaisquer problemas durante o ato operatório.  Esse procedimento possibilita ao especialista conhecer eventual histórico de cirurgias, alergias e reações à aplicação de anestesias. Além disso, permite ao paciente conhecer o médico que vai anestesiá-lo e esclarecer todas as suas dúvidas.

Fases da anestesia

I. Indução anestésica

 Nessa etapa, o paciente recebe os primeiros medicamentos para o início da cirurgia. Já dentro do Centro Cirúrgico, o médico punciona uma veia do braço do paciente por onde são ligados todos os aparelhos que irão controlar os parâmetros vitais (pulsação, pressão arterial, respiração, concentração de oxigênio e gás carbônico no sangue etc.). É administrado oxigênio sob máscara, e na veia puncionada são aplicados medicamentos para o paciente dormir. Em seguida, é feita a entubação orotraqueal, que consiste na introdução de um tubo plástico na traqueia do paciente, o qual será conectado ao aparelho de anestesia. É por esse tubo que ele respira e recebe os gases anestésicos durante a cirurgia.

II. Fase transoperatória

 O paciente recebe um fluxo constante de gás anestésico e oxigênio ou ar. A quantidade de gás recebida pelo paciente é determinada pelo anestesista e mantida em níveis constantes pelo aparelho de anestesia chamado “carrinho de anestesia”.  O anestesista acompanha sinais vitais, a dosagem adequada de anestesia para a cirurgia e também o nível de hidratação do paciente. Também são administradas quantidades de soro adequadas para manter estável a pressão arterial e o perfeito funcionamento dos rins. Por essa razão, muitos pacientes costumam urinar bastante no pós-operatório.

III. Recuperação pós-anestésica

 É a fase de despertar do paciente após a cirurgia. A inalação de gases anestésicos é suspensa e inicia-se a fase de recuperação.  A recuperação pode ocorrer na Sala de Recuperação do Centro Cirúrgico ou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O anestesista e o cirurgião decidem qual é o local mais adequado para cada paciente.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

PARCEIROS